Na mídia

O que é Hiperdontia?

29 out | 2019

     

Você sabia que é possível uma pessoa manifestar um número de dentes maior do que o normal? Geralmente o ser humano possui a mesma quantidade de dentes na boca, sem contar os sisos. A condição conhecida como hiperdontia ocorre quando um indivíduo apresenta mais dentes do que o natural.

Entenda mais sobre esse quadro, como ele afeta a cavidade oral e quais são os tratamentos para esse problema. Continue a leitura!

 

O que é e o que causa a hiperdontia?

Em um cenário ideal, uma criança possui até 20 dentes, sendo que a boca de um adulto normalmente contará com o número de 32 dentes. A hiperdontia é a formação em excesso de dentes na boca – apesar de rara a condição pode afetar qualquer pessoa em diferentes idades.

 

Essa formação extra de dentes pode ser categorizada como:

  • Supranumerários, com aspecto anatômico anormal OU
  • Suplementares, com a forma anatômica inalterada.

 

Qualquer numeração de elementos dentários extras na boca já classifica um quadro de hiperdontia, ocasionando em anomalias na cavidade oral, como por exemplo, dentes tortos e encavalados.

A situação mais comum é encontrar somente 1 ou 2 dentes extra na boca, contudo já foram identificados casos em que cerca de 30 dentes a mais se desenvolveram em uma pessoa – cenário extremamente incômodo para qualquer um.

Mesmo sendo uma condição bastante atípica, esse transtorno acomete mais a população masculina, e principalmente quem já sofre com outras síndromes como a síndrome de Gardner, displasia cleidocranial, lábio leporino, fenda palatina, entre outras.

Ainda não se sabe ao certo o que causa a hiperdontia, porém existem grandes chances dessa disfunção se desenvolver por alguma alteração genética, ou ser herdada, passando dos pais para os filhos.

A hiperdontia pode surgir já na infância, ao nascer dos primeiros dentes, no decorrer da adolescência juntamente com o nascimento da dentição permanente, ou já na fase adulta. Na maior parte dos casos, o problema surge na dentição permanente.

 

Consequências da hiperdontia

Indo além de apenas questões estéticas por aparentar ter mais dentes na boca, o número elevado de dentes acarreta em dores e desconforto para o paciente. Inclusive, a hiperdontia abre caminho para uma série de complicações envolvendo a arcada dentária e a saúde bucal da pessoa afetada por esse problema.

O nascimento de dentes extras altera a anatomia normal da cavidade oral, e isso aumenta as possibilidades de surgirem cistos ou tumores nos dentes. Um cisto nessa região costuma evoluir em torno do dente que nasceu de forma incorreta, acumulando líquidos e secreções, que ainda permitem a proliferação de bactérias no local. Caso o problema não seja tratado, esse cisto se amplia, resultando até mesmo na perda dos dentes.

Mas também encontram-se casos em que os dentes extras não são identificáveis a olho nu, são dentes que não “nascem”. Esses elementos dentários “invisíveis” atrapalham o desenvolvimento de outros dentes da arcada dentária.

Outra consequência que a hiperdontia pode trazer é o apinhamento dentário (também conhecido como dentes encavalados), que é uma das consequências mais comuns para os pacientes que sofrem com a condição dos dentes em excesso.

 

Apinhamento dentário: o que é?

Em uma boca adulta, a cavidade oral é feita para suportar apenas 32 dentes. O surgimento de dentes extras altera os espaços disponíveis na arcada dentária, ocasionando assim o apinhamento dentário.

Essa falta de espaço faz com que os dentes despontem sobrepostos ou tortos, nascendo uns sobre os outros. Além do incômodo estético que o apinhamento traz, diversos danos para a saúde bucal podem vir desse problema: já que a posição incorreta desses dentes impede uma higienização adequada da boca.

 

Tratamentos para a hiperdontia

Existem casos em que apenas uma intervenção cirúrgica pode resolver a questão de muitos dentes a mais na boca, como quando já existem consequências graves para a saúde do paciente – porém, somente um profissional dentista é capaz de diagnosticar e indicar qual procedimento deve ser seguido.

Nas ocorrências mais comuns, a hiperdontia pode ser tratada com o uso de aparelhos ortodônticos para corrigir os dentes tortos e sobrepostos. Atualmente existem vários tipos e modelos de aparelhos: móvel, fixo metálico e os aparelhos invisíveis, conhecidos como alinhadores estéticos.

 

Escolha o melhor para sua saúde bucal

Para tratar a hiperdontia, o melhor é procurar um especialista capaz de identificar o problema em suas fases iniciais. O consultório do Dr. Sérgio Casarim conta com profissionais altamente capacitados para cuidar da sua saúde bucal. Agende já sua consulta!

< voltar

Posts Relacionados